Fasano Turismo Travel Blog África Vermelha Mundial de Clubes 2010 Youtube CasalPix
©2017 Raul Antonio Fagundes Valls. Todos os direitos reservados. Manutenção: Webfront

Viena, Áustria

Dados gerais

  • Hora: +4GMT
  • Capital: Viena
  • Nacionalidade: austríaca
  • Idioma: alemão
  • Religião: cristianismo (89%)
  • Política: República parlamentarista
  • Moeda: Euro (substituiu o xelim austríaco)
  • Economia: cimento, produtos químicos, aço, equipamentos elétricos, madeira e móveis.
  • Turismo: é uma das mais populares estações de férias da Europa.

A Áustria, cujo nome significa literalmente “império do leste”, situa-se no centro da Europa e faz fronteira com Alemanha, República Checa, Eslováquia, Hungria, Eslovênia, Itália, Suíça e Liechtenstein. Isto explica a riqueza histórica e artística de um país que absorveu o legado dos povos vizinhos. Mais de dois terços de seu território estão ocupados pela cordilheira dos Alpes e ao norte o fértil vale do Danúbio, onde se desenvolve a agricultura, A importância estratégica dessa região, que funciona há milênios como corredor entre o leste e o oeste do continente, explica a existência ali de centenas de fortes, castelos e mosteiros.

 clique para aumentar 
Palácio de Schonbrunn, um dos símbolos da capital austríaca
Palácio de Schonbrunn, um dos símbolos da capital austríaca

Cidades principais

  • Viena: é a capital do país e tem 1.631.082 habitantes (2005)
  • Salzburgo: tem 147.571 habitantes (2010) e é a terra natal de Mozart, famosa por seus concertos
  • Innsbruck: 189.832 habitantes (2006), é a capital olímpica do alegre Tirol e estação de esqui
  • Linz: com 188.968 habitantes (2007), é capital e importante região industrial do estado da Alta Áustria

Diario de Bordo

Viena, uma cidade enriquecedora

No final de uma viagem são inevitáveis as comparações. Depois de acompanhar um por de sol desde a Ponte Carlos, em Praga e retroceder no tempo, relaxando nas águas termais do Hotel Géllert, que lembra as antigas casas romanas de banho (foram os romanos os primeiros a descobrir as propriedades medicinais das águas de Budapeste), fica difícil julgar Viena. Todos os lugares que visitamos têm seu encanto. Temos que olhar cada cidade de um prisma diferente. Viena talvez não seja romântica como Praga ou Budapeste, mas é uma das mais cosmopolitas e civilizadas cidades do planeta. Se vai a Viena pensando no Danúbio, esqueça. O rio Danúbio lá não é mais que um canal, devido às obras realizadas para protegê-la das enchentes. É impossível uma comparação. Elas são muito diferentes.

Iniciamos nosso recorrido acompanhando as ciclovias que margeiam o lendário Danúbio. Elas se perdem de vista entre os bosques que circundam a cidade. Existem mais de 400 quilômetros dessas vias, com sinalização e semáforos próprios, espalhadas pela capital austríaca. Cuidado para não ser atropelado, pois, o ciclista tem prioridade. Os vienenses pensam em 2010 atenderem 30 por cento do transporte público com essas vias. Lá o transporte público chega a excelência. Preferimos o bonde elétrico ao metrô, pois era a maneira de melhor observarmos aquela arquitetura uniforme e tão bem planejada. Viena foi totalmente reconstruída durante o reinado do Imperador Francisco José em 1857. Não só a cidade, mas o Império Austro Húngaro viveram seus dias de glória com a dinastia dos Habsburgos. Optaram pelo estilo renascentista, mais clássico e de linhas retas, cansados já de tanto gótico e barroco. O plano inicial se baseou em uma avenida central em forma de anel, a Ringstrasse e a partir daí foram desenvolvendo uma cidade senhorial. Edifícios como a Ópera, o Parlamento, a Rathaus (prefeitura) e os Museus foram dando forma a um conjunto arquitetônico harmônico, leve e de extremo bom gosto.

O verão é a melhor época para se tirar proveito do amor que seus habitantes têm pela musica. A arte invade as ruas da cidade e a musicalidade emana de todos os cantos. Eventos de cinema, arte e musica erudita são exibidos gratuitamente em marcos importantes como a praça da prefeitura (Rathaus). É a única capital européia em que sua Ópera apresenta uma obra cada dia. Mesmo sendo dispendioso, seus habitantes preferem pagar mais impostos, mas terem a possibilidade de assistir durante 300 dias do ano espetáculos diferentes (só para nos meses de junho e julho). A cultura é vital para eles.

 clique para aumentar 
Comprando ingressos para o concerto no palácio Hofburg
Comprando ingressos para o concerto no palácio Hofburg

 clique para aumentar 
O Palácio Hofburg
O Palácio Hofburg

Outra peculiaridade do povo vienense é o hábito arraigado de freqüentar as Caffee Haus - Casas de Café -, que são como uma extensão de suas casas. Os cafés que hoje são o símbolo mais literário de Viena não nasceram na Europa. Os primeiros lugares onde se vendia café nasceram no submundo de Istambul no século XVI. Os vienenses adotaram essa bebida amarga e turva e a suavizaram com mel e com um pouco de leite. Esta bebida é tão importante para eles que existem 40 variedades de café. Se não quer levar um susto na hora de pagar a conta peça um Mocca ou Melange (uma espécie de cortado). É tradição escutar que a visita de um vienense ao café se rege por um ritual. Pedem 1 café, 2 copos de água, 3 jornais e dedicam 4 horas para escrever, ler ou comentar sobre a ultima ópera com amigos. Buscando essa faceta diferente e interessante da cidade seguimos a rota dos velhos e tradicionais Cafés de Viena, tentando naquela breve estada sentir o pulsar da cidade e imaginando, talvez, no Landtmann, Mozart ou no Café Central, com sua atmosfera silenciosa e solene, encontrar Freud jogando xadrez com Trotsky.

Uma coisa é certa: estávamos diante de um povo extrovertido, amistoso, trabalhador, eficiente, culto e muito civilizado. Encerrava nosso recorrido pelas capitais do leste europeu um pouco aturdido, imaginando quanto tempo levaríamos para chegar a este estágio.

 clique para aumentar 
Um brinde à Mozart
Um brinde à Mozart

Algumas dicas de Viena

Compras

Os centros comerciais mais importantes são:

  • Kartner Strasse: peatonal com as lojas mais elegantes entre a Opera e a Catedral de São Estevão.
  • Mariahifer Strasse: centro popular de compras de Viena, com 3Km de extensão entre o Museu de Belas Artes e a estação ferroviária Westbanhof. Hora de atendimento: de segunda à sexta das 8:30 às 18:00 horas. Sábados: de 8:30 às 17:00 horas.

Câmbio

  • Horário de bancos: de 8:30 às 12:30 e 13:30 às 18 horas.
  • Quintas-feiras: de 6:30 às 17 horas.
  • Domingos: Agências de câmbio ao redor da Ópera, estações ferroviárias e aeroportos.

Transporte público

  • Algumas linhas de bondes elétricos e metrôs desde a Ópera–Karlsplat
  • Palácio Belvedere: linha D
  • Palácio Schonbrunn: metrô U4 (direção Huteldorf)
  • Prater: linha U1 (direção Kagran – estação Prater)
  • Torre do Danúbio: metrô U1 (direção Kagran – parada Alte Donau)
  • Informações turísticas: Praça Albertina

Gastronomia

A maioria dos restaurantes oferecem as seguintes possibilidades:

Sopas

  • Normalmente consomes com diferentes conteúdos
  • Leberknodelsuppe, com almôndega de fígado
  • Frittatensuppe, com crepes
  • Zwiebelsuppe, sopa de cebolas, gratinada ao forno

Pratos principais

  • Wienerschnitzel: escalope de porco ou vitela a vienense
  • Gulasch: guizado de carne de vaca à moda húngara
  • Bratwurst: salsichas temperadas grelhadas

Sobremesa

  • Apfelstrudel: torta de maçã
  • Sachertorte: torta de chocolate recheada com geléia de damasco
  • Miilchrahmstrudel: torta de requeijão com creme de baunilha

Café

  • Melange: café com leite à vienense
  • Grosser Brauner: taça grande de café com creme
  • Kleiner Brauner: pequena taça de café com creme
  • Mocca: cafezinho bem forte

Onde comer

Aproveite para conhecer a atmosfera da cidade jantando em seus Cafés:

  • Café Mozart: jantar após a Ópera. Perto da Praça da Ópera (data de 1787)
  • Café Central: Palais Ferstel, Herrengasse 14
  • Café Landtmann: Dr. Karl-Lueger, Ring 4
  • Café Haweka: Dorotheergasse, 6
  • Café Museum: Opemgasse, 7

 clique para aumentar 
Jantar no Café Mozart (1797) após a ópera Don Geovanne
Jantar no Café Mozart (1797) após a ópera Don Geovanne

Austríacos ilustres

  • Wolfang Amadeus Mozart, músico
  • Johann Strauss, músico
  • Sigmund Freud, psicanalista
  • Gustav Klint, pintor
  • Arnold Schwarzenegger, ator
  • Niki Lauda, piloto de fórmula 1

O que visitar

  • Palácio de Schonbrunn com Glorieta: residência dos Habsburgo durante o império austro-húngaro em 1695.
  • Palácio Belvedere: data de 1725; estilo rococó, alberga museus de arte
  • Ópera Stratsoper: teatro estatal da ópera. Edifício majestoso. Foi a primeira construção da Ringstrasse
  • Palacio de Hofburg: residência de inverno dos Habsburgo
  • Praça dos Heróis, Heldenplatz
  • Stephandon, Catedral de San Estevan: estilo românico, com sua torre solitária (1433)
  • Parlamento: estilo Antigo Clássico (1873)
  • Rathaus, Prefeitura: torre de 98 metros
  • Parque Prater: com a famosa roda gigante (Riesendrad)
  • Votivakirche: estilo neo-gótico
  • Teatro Nacional, Burgtheater (1776)
  • Passeio nos bosques de Viena
  • Jantar nas Tavernas do Bairro Grinzing, Distrito de Viena, séculos XVI e XVII. Como chegar: pegue o bonde D3 que sai da Ringstrasse
  • Passear de bicicleta pela cidade: estacionamento em todos os pontos da cidade.
  • Uno City: desde 1957 é a sede central de algumas organizações internacionais, tais como ONU (terceira sede) e OPEP
  • Café Stadtpark, com sua terraça chamada Kursalon (tomar um café rodeado de flores)
  • Cafés com música ao vivo: Konzert Café, Café Szene e Tanzcafé Volksgarten
 clique para aumentar 
Casa de Sigmund Freud
Casa de Sigmund Freud
 clique para aumentar 
Café Landtmann
Café Landtmann

Muitas coisas de Viena são conhecidas no mundo inteiro: os Palácios Schonbrunn e Belvedere, a Filarmônica de Viena, os Meninos Cantores de Viena, Baile da Ópera, Escola de Equitação, Concerto de Ano Novo, a Torta Sacher e os pastéis.