Fasano Turismo Travel Blog África Vermelha Mundial de Clubes 2010 Youtube CasalPix
©2017 Raul Antonio Fagundes Valls. Todos os direitos reservados. Manutenção: Webfront

África do Sul

África do Sul (atualizado em 2010 e 2011)

Recomendo que o primeiro país a ser visitado na África seja a África do Sul; depois, conhecer a rica Cultura Muçulmana dos países da região do Sahara (Egito, Marrocos) e por fim aventurar-se pela África Oriental (Costa Suwaíli, Kenya, Tanzânia, Zanzibar), que é a verdadeira África Selvagem, com seus santuários de preservação dos animais selvagens.

Informações úteis

  • Localização: Extremo sul do Continente Africano
  • Capital Administrativa: Pretoria
  • Capital Legislativa: Cape Town
  • Moeda: Rande (1 real = 3,37 randes)
  • Línguas Oficiais: Africâner, Inglês, Zulu, Xhosa, Ndebele, Venda, Tsonga
  • Horário: 5 horas a mais que Brasília (+2 GMT)
  • Apartheid: abolido em 1994 com a eleição de Nelson Mandela
  • As estações do ano são as mesmas do Brasil
  • Estradas: são excelentes!
  • As regras de trânsito são iguais às da Inglaterra (mão do lado esquerdo)
  • Companhia aérea: Malaysian Airwais (Buenos Aires – Cape Town)
  • Duração de vôo Buenos Aires - CapeTown: 7 horas
  • Cabotagem: SAA (South African Airwais)
  • Brasileiros não necessitam visto.
  • Roteiro: Cape Town - The Wynelands - Garden Route - Durban - Pietermaritzburg - Reserva Zulu - Drakensberg - Kruger Park – Easter Transval - Blyde River Canyon – Pilgrim Rest – Johannesburg – Lost City at Sun City
  • Duração da viagem: 18 dias


Estádio SoccerCity, sede principal da Copa do Mundo 2010

Diario de Bordo

Viajamos eu e minha mulher Silvia para a África do Sul, em fevereiro de 97. Estava encerrando meu livro de viagens e não poderia me considerar um globettroter sem ter vivenciado um safári em uma das reservas animais do Continente Africano.

Escolhemos a África do Sul. Já tínhamos algumas noções de como corria a vida nos países do norte da África. Naquele momento a África do Sul estava muito na mídia, talvez pelo término do Apartheid, e algo que também nos influenciou foi de que em Cape Town residia o cônsul uruguaio Sr. Eber Martinez Muscio, pai de uma querida amiga.

Foi de muita valia a conexão com o Cônsul Eber e Dona Mireya, sua esposa. Nos receberam com fidalguia e nos convidaram para um jantar com amigos do corpo diplomático. Naquela velada aprendemos bastante sobre o país que pretendíamos conhecer.


Guerreiros Zulus

A África do Sul, apesar de seus profundos contrastes e diferenças sociais, é um país muito civilizado. Por sua localização estratégica (para a época), sua colonização teve influência portuguesa, holandesa, inglesa, francesa e indiana.

A nação é dividida em nove províncias, e como no Brasil, nenhuma região representa sozinha, geográfica e culturalmente, as características do país inteiro.

O contato com a África Selvagem dos guerreiros Zulus, das extensas savanas e dos safáris, foi uma experiência que me marcou profundamente, e desde aquele momento, como já comentei, mudei minha forma de ver o mundo e planejar meus futuros destinos.

Principais cidades e atrações turísticas

Johannesburg, 3.888.180 habitantes (2007)

O centro da cidade é uma justaposição vibrante do primeiro e do terceiro mundo. Na parte central de “Jo’Burg”, como é conhecida carinhosamente pelos moradores locais, os comerciantes oferecem frutas e vegetais frescos e reluzentes, jovens mulheres servem PAP (milho) com molho, e comerciantes indianos vendem roupas coloridas. A taxa de criminalidade nesta área é alta, o que sugere que se tomem as devidas precauções.

A província onde se localiza a cidade é chamada de Gauteng , que no idioma Shoto significa “Lugar do Ouro”. Pode-se visitar uma exposição de Arte Africana no Standar Bank e apreciar desde o Centro Carlton, na rua comissário, o mais alto edifício da África, uma visão excelente da cidade e de suas colinas amarelas (que são na realidade minas para extrair mineral). Se alugar um carro, coisa que não recomendo, não perca a Top Star Drive - localizada no topo dessas colinas.

O trajeto do aeroporto ao distrito de Sandton, ou outro qualquer, é recomendável fazer no trem ultra-rápido. É o cartão de visita de uma cidade que se preparou para sediar uma Copa do Mundo.

Distrito de Newtown

◊ Área renovada, onde se encontram lojas alternativas, teatros, galerias e cafés.

◊ Recomendamos o restaurante africano GRAMADOELA, que prepara autênticos pratos locais.

◊ Seguindo pela rua Bree, indo para Foadsburg, encontrará a “pequena Índia”, uma parte oriental do Jô’Burg. Este enorme bazar é formado por 375 lojas que vendem tecidos, temperos indianos, comidas e ouro.

Distrito de Yeloville e Orangegrove

◊ Bairro de Yeloville. Nesta área se destaca a Rua Rockey com sua diversidade de lojas, cafés, artigos de segunda mão e estúdios de tatuagem, lado a lado. Neste quarteirão cosmopolita, lojas de pérolas compartilham espaço com clubes de rock.

◊ Siga na direção leste, para Oragegrove e na Avenida Luiz Botha não perca a oportunidade de conhecer a Doghve, um estabelecimento popular na cena das casas noturnas da cidade.

Distrito de Sandton

◊ É o lugar mais seguro da cidade, mas ao entardecer torna-se uma cidade fantasma. A vida continua a pulsar nos enormes shopings, que por seu tamanho fazem lembrar os de Dubai.

◊ Aqui, nesse subúrbio de gente abastada, encontram-se um dos maiores centros comerciais do hemisfério – Sandton City, onde misturam-se espelhados prédios futuristas com mendigos nas sinaleiras.

◊ Visite o Centro Comercial Colônia Lavonia com uma variedade de lugares onde se pode comer o frango com ervas e limão no Butcher Shop Grill, na Praça Sandton, um dos melhores da cidade.

◊ Restaurante Villamoura Sandton e o Café Nino, para ver as pessoas. Os habitantes da ciade são gourmets e exigem comida de alta qualidade.


Triste imagem da repressão brutal contra o povo negro

Soweto - Sowesttownship

◊ É o mais conhecido gueto da África do Sul e a maior favela Do Continente. Vasta área coberta de casas, barracos e choupanas, algumas em estado deplorável (a maioria feitas de zinco, – paredes e teto). Pode-se visitar a casa onde morou Nelson Mandela, e hoje funciona como museu e, também a casa de Desmond Tutu, ambos Prêmio Nobel da Paz. Almoçar no restaurante da Wandie, onde se servem deliciosos pratos típicos.

◊ É imperdível a visita ao Museu do Apartheid, Câmara de Justiça e o estádio de futebol Soccercity.


Grafite empresta arte para colorir o Soweto

Kruger National Park

O mais antigo e um dos mais famosos santuários da vida selvagem do mundo. Localizado no Easter Transvaal, hoje província da África do Sul, seu nome é uma homenagem ao primeiro presidente da antiga república do Transvaal, Peter Kruger. É um lugar de proteção à fauna, flora e meio ambiente. O que impressiona é a forma respeitosa com que os guias e os habitantes se integram ao meio ambiente.


Vida selvagem, Kruger National Park

Sun City, The Palace of the Lost City

Situada a duas horas (187KM) de Johannesburg, Sun City é um complexo de entretenimento, como Las Vegas. A maior atração é o imponente Hotel, “The Palace”, localizado no Pilanesberg National Park, o terceiro maior do país. Seus 338 quartos têm vista para a selva ou para o Parque das Ondas (Valley of Waves). Na época era o único hotel seis estrelas do mundo.

A “Cidade Perdida de Sun City” é uma das mais excitantes e inovadoras atrações turísticas do mundo. O “Palácio da Cidade Perdida” foi inspirado em uma lenda esquecida, e seria a residência real de um antigo reino. O “Vale das Ondas” (Valley of Waves) é uma extraordinária obra de engenharia, que, usando 8 milhões de litros de água, proporciona a formação de ondas de 2 metros de altura, movendo-se a 35KM por hora, sendo possível até surfar. A praia de areias brancas tem 120 metros de comprimento, e todo o parque foi ornamentado com milhões de palmeiras e outras plantas exóticas trazidas de todas partes do mundo. O resort foi inaugurado em 1992.

Comidas Típicas

◊ Phutu africana (mingua de milho à Vaudi, no Soweto ou a típica Potijekos (ensopado cozido numa panela de três pés sobre o fogo aberto). News Café em Rivonia, restaurante Ciao Baby Cucina e ou o Steffanie’s.

Cape Town, 3.497.097 habitantes (2007)

A chegada por via aérea à Cidade do Cabo é de arrepiar. A panorâmica da cidade com a Table Mountain de pano de fundo é uma das mais belas vistas do planeta.

O coração dessa cidade cosmopolita e vibrante está no Waterfront (antigo porto), ponto de encontro ao entardecer dos moradores e turistas.

A zona portuária foi construída à semelhança do Embarcadero Center de San Francisco.

Dica: visite o África Café no Heritage Square.

Durban, 3.468.086 habitantes (2007)

Está situada na província de Kuazulu Natal e às margens do Oceano Índico, sendo considerada o maior porto da África e o nono do mundo. É também o lugar preferido pelos sul-africanos para gozar suas férias. Suas belas praias são um atrativo para os surfistas.

Lá morou por vários anos, exercendo a advocacia, Mahatma Gandi, e lá também esteve como correspondente de guerra Sir Winston Churchil (guerra anglo-boer).

Suas belas praias e a atmosfera oriental do Victoria Street Market (mercado indiano), exemplo da herança indiana, são suas principais atrações.


Victoria Street Market